Pausa para almoçar. Agora, em bom.

À MESA COM

Carmo

Se alguém personifica na perfeição a frase “I’m not a regular mom. I’m a cool mom” do clássico Mean Girls, esse alguém, é a Carmo. Mãe do Vicente e do Sebastião, organiza o seu dia a dia entre trabalho e família. Nos tempos livres adora fotografar, ler e pintar.

Licenciou-se em Comunicação Social na Universidade Católica de Lisboa e trabalhou como jornalista durante cerca de uma década. Passou pelos três canais generalistas. Na RTP com o programa “Iniciativa” como repórter, na SIC com o programa “Companhia das Manhãs” e pela redação da TVI nos programas “Cartaz das Artes” e “DeLuxe”. Teve ainda uma rubrica na Vogue Portugal apelidada de “@work”. O digital chegou mais tarde à sua vida começando por escrever artigos para sites e revistas digitais, apanhando o “advento” do mundo a virar-se para o digital content. Há cerca de há 3 anos começou a sentir que o jornalismo já não era uma área onde quisesse estar, acabando por investir numa pós-graduação em Marketing Digital. 
 
Passámos a sua hora de almoço, nos Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, onde vai com regularidade para respirar e espairecer do escritório. Trabalha no outro lado da rua (literalmente) em e-commerce numa vertente comercial, sendo gestora de sapataria e acessórios do El Corte Inglés e ainda coordena um projeto de content chamado L Manifesto. 

Como é um dia normal da Carmo?
A primeira parte do meu dia, até chegar ao trabalho, existe em função das crianças. Com dois filhos pequenos começa cedo. Tento agilizar os processos matinais de acordar, dar-lhes o pequeno-almoço, vesti-los, levá-los à escola para chegar ao trabalho por volta das 9h/9h30. Como o mais novo tem apenas 10 meses, estou com horário reduzido. Saio entre as 17h/18h, regresso a casa e o tempo volta a ser muito deles até irem para a cama. Tempo para mim tenho a hora de almoço e depois de eles adormecerem. É complicado de gerir, mas quem é pai sabe que acaba por ser uma rotina inevitável.
 
Como geres a tua pausa de almoço? 
Tento trazer comida caseira, equilibrada, mas na minha logística normal de final de dia nem sempre consigo preparar uma refeição para o dia seguinte. Outra condicionante deve-se ao facto de trabalhar num meio fechado, apesar de não parecer, mas é muito industrializado. Estamos numa sala pequena e quando está bom tempo preciso mesmo de ar puro. É só descer ao supermercado, agarro uma das vossas saladas e vou para a Gulbenkian almoçar. 
 

"É uma opção rápida e saudável. Aliás, rapidez é a palavra de ordem."


Chego aqui (jardins da Gulbenkian), sento-me geralmente no anfiteatro, sozinha ou acompanhada por algumas colegas que seguem este hábito e como Sun&Vegs. As minhas saladas preferidas são o Tabulet Marroquino e a de Quinoa. 
 
Tens cuidado com a tua alimentação? Se sim, quais?
Já tive bem mais do que agora. No final dos vinte, costumava correr com regularidade. Nunca fiz maratonas, mas participava em algumas provas que implicavam ter regras na minha alimentação para não ressentir em termos de performance. Um atleta para conseguir bons resultados é crucial que trabalhe a sua condição física e, como tal, tive de disciplinar-me a nível alimentar. 
 
Uma escolha que tenho vindo a fazer ao longo do meu crescimento enquanto ser humano, é não consumir carne. Tive 2 gravidezes que me obrigaram a fazê-lo, mas a minha ideia sempre foi excluir por completo. Neste momento como apenas carnes brancas.
 
Como te disse há pouco, a minha alimentação acaba por sofrer por todas as condicionantes da minha rotina. É pegar no que for rápido e comer à hora do almoço. Ao longo do dia como fruta, depois à noite como tenho de preparar o jantar dos miúdos preparo uma refeição completa e rica. Eu própria partilho do mesmo comportamento por ser preparada e pensada para a família, quando é para mim confesso ser descurada. 
 
O que dirias à Carmo de há 10 anos atrás?
Tem calma, tudo se faz com tempo. Sempre fui muito apressada, sempre quis resultados imediatos. Muito ansiosa, muito irrequieta. Acho que é isso. Tem calma! Aproveita, não temos que correr, as coisas acontecem quer a nível profissional quer a nível pessoal. Não há mal em apreciar a vida e dir-lhe-ia também para se aventurar em experiências profissionais lá fora.
 
Quais as maiores conquistas com os teus canais digitais?
Foram meios que me proporcionaram experiências muito boas. Cresci a nível de fotografia com o blog, por exemplo. Tive oportunidade de fazer parcerias e colaborações com algumas marcas e pessoas que admirava, entrar nesses ADN’s comerciais. Criei uma rede de networking com pessoas que são atualmente minhas amigas, que vieram dos tempos da blogosfera daí não menosprezar o impacto desses meios. Acho que tudo tem um ciclo de vida. Tudo tem um nascimento, uma maturidade, um declínio e um fim. A blogosfera também assim foi no meu percurso.
 
Melhor opção para almoçar para quem não tem tempo?
Sun&Vegs na Gulbenkian (se possível).
 
A melhor receita para se fazer em 5 minutos?
Ovos mexidos.
 
A melhor receita para um dia de inverno?
Sopa ou panquecas.
 
O que é que nunca falta na tua despensa?
A grande maioria dos alimentos são direcionados para os miúdos. Leites e néctares de fruta, por exemplo. 
 
O teu pequeno almoço?
Iogurte com sementes de sésamo ou girassol, uma colher de mel e canela em pó. 
 
Um último ingrediente ou receita que tenhas descoberto e deixou-te viciada.
Cardamomo. Tenho colocado em tudo ultimamente.
 
Podes não ter tempo para mais nada, mas não abdicas de...
Excluindo o óbvio que são os meus filhos, café. Só consegui abdicar durante as duas gravidezes e mesmo assim tomava 2 ou 3 semanalmente. Foram os dois únicos momentos na minha vida em que tive de tentar desacelerar o consumo.
 
As tuas maiores inspirações? 
Nunca consegui apontar uma só pessoa, ou uma só personalidade, porque as minhas inspirações são espontâneas. 
 

"Inspiro-me muito mais numa viagem de metro do que propriamente num conteúdo editorial."


Uma caminhada pode ser uma fonte de inspiração. Cruzar-me com 2 ou 3 pessoas que acho incríveis e disruptivas esteticamente. Há pouco tempo vi um rapaz que usava um casaco de pelo comprido, botins, calças de ganga, camisa aberta, uma série de conchas e fios coloridos com pontas de madeira ao pescoço. Óculos redondos à Harry Potter, um registo super fora que achei fascinante, inspirou-me de tanta forma, achei incrível. A nível editorial, no universo do Instagram, destaco a La Mignonette (@mignonettetakespictures) que é portuguesa, acho-a uma fonte de inspiração constante e o Ezra Petronio (@ezrapetronio) em termos de estética. As imagens atraem-me mais do que o content escrito, portanto quando me falas em inspiração, até penso mais em revistas ou em publicações do que propriamente digital.
 
Que revistas costumas consumir?
The Gentlewoman, Self Service e Papier Maché que tem conteúdo infantil mas super editorial. Uma sobre gatos que eu adoro a Puss Puss, assim como, a Fantastic Man e a portuguesa Dsection.

SUN&VEGS

AGORA EM BOM

Este site usa cookies para recolher informações que ajudarão a optimizar a tua visita. Consulta as informações sobre o uso de cookies na nossa Política de cookies. Ao continuar a usar o nosso site, aceitarás a nossa política de cookies. ACEITO