Pausa para almoçar. Agora, em bom.

À MESA COM

Mafalda Beirão

Mafalda Beirão, a mulher por detrás do Malmequer, é uma boa surpresa precisamente por não ser uma - do digital para o "offline", a sala de estar da sua casa, é a pessoa doce e de sorriso fácil que aparenta no blog.

Licenciada em Psicologia, lançou o Malmequer quando entrou na Faculdade, já lá vão dez anos. Essa decisão viria a moldar o seu percurso - e a sua própria vida - de uma forma difícil de prever. E nós agradecemos. 

Desde que concluiu a Licenciatura, envolveu-se em projectos de voluntariado que a levaram além fronteiras, fez formação em Web Design e Marketing Digital, produziu conteúdos para a MTV Portugal e, há alguns meses, mudou-se para uma agência de publicidade. A comunicação estava-lhe no sangue desde pequena e, não fosse a História de que fugiu a sete pés, teria passado por Humanidades e seguido Jornalismo ou algo relacionado, provavelmente. Em vez disso, enveredou pelas Ciências e seguiu o percurso que já conhecemos - por caminhos diferentes, acabou por chegar onde fazia sentido estar.

O blog sempre a acompanhou, de forma mais ou menos assídua, mais ou menos pessoal. De diário digital com publicações que, hoje em dia, pouco ou nada lhe dizem, ao formato a que já nos habituámos, foi crescendo e evoluindo com Mafalda, com os seus gostos pessoais e a sua visão. E, a dada altura, teve um papel importante no seu crescimento e processo de auto-aceitação.

“(A exposição) foi uma forma de me aceitar a mim mesma. Os blogs estavam a crescer, as pessoas davam a cara e mostravam o corpo, e eu também teria de o fazer. E por isso tive de aprender a gostar de mim mesma e expôr-me.”

Expôr-se fisicamente nem sempre foi fácil mas era, garantidamente, parte do processo.

Sempre impôs limites claros ao que não partilhava - relações pessoais, o que se passa "daquela porta para dentro" - mas foi aprendendo a estar à frente da câmera e a abordar temas mais intímos de uma forma que pudesse ajudar os outros - fala das suas questões de ansiedade sem grande pudor para garantir que passa a mensagem correcta ainda que não entre em detalhes desnecessários que sirvam para alimentar conversas paralelas pouco interessantes para a discussão que quer despoletar.


“Eu não sou igual às outras porque não tenho 1,70m e não visto o 36. E não tem mal. Percebi que o meu poder como influencer - e o que me deixa feliz - é poder melhorar a auto-estima de quem me lê, poder ajudar as pessoas a sentirem-se melhor consigo mesmas, a inspirarem-se em mim... e a contactarem-me por isso.”

Há 4, 5 anos, conheceu a Ana Krausz e a sua vida mudou. Mafalda tornou-se uma das "pupilas da Krausz". Passou a preocupar-se mais com alimentação, com o bem estar, com o desporto e até com a astrologia. A propósito disso, não deixa passar a oportunidade para nos dizer que não só é Gémeos como acredita que vivemos várias vidas - em alguma das suas últimas, tem a certeza de que viveu em Nova Iorque.

Um dia normal na vida da Mafalda? Acorda cedo e toma o pequeno-almoço - nunca abdica desta refeição! Quando tem tempo, faz tapioca, crepioca ou batidos de fruta; quando tem uma manhã mais difícil, come panquecas congeladas, que descongela na torradeira ou no micro-ondas. "No micro-ondas ficam como acabadas de fazer; na torradeira, ficam um pouco mais estaladiças, óptimas para comer on the go." Depois, sai de casa e vai para a agência, o seu emprego das 9 às 5. Almoça lá - leva quase sempre almoço preparado de véspera - e dificilmente faz pausas longe da secretária; quando regressa a casa, tenta aproveitar ao máximo para estar com a Glória ou receber amigos em casa. "A minha rotina mudou um pouco com a mudança de emprego – é um trabalho mais exigente. Antes tinha um ginásio por debaixo do escritório e ia treinar à hora de almoço; hoje já não.”

​"Uma hora de almoço perfeita? Poder vir a casa e cozinhar o meu almoço na hora. Ainda assim, gosto da hora de almoço que tenho - como quase sempre comida preparada por mim e sempre no escritório. Temos muitas vezes essa conversa (na agência) – nunca saímos à hora de almoço. Mas se o fizéssemos... (...) Gosto muito desta zona de beira rio, tem uma luz incrível. A zona do CCB, MAAT, Champalimaud. São zonas boas para trazer a marmita e ficar a apanhar sol.”


Não cozinha tanto quanto gostaria mas costuma fazê-lo várias vezes por semana; ao domingo tem o hábito de fazer comida para a semana toda – uma sopa para jantares e um tacho de quinoa que vai juntando aos legumes salteados ou proteínas que prepara quase sempre diariamente. Apesar de cozinhar muitas coisas saudáveis, adora fazer doces e até "consta que sou uma boa doceira!"

Sobre as maiores (e mais recentes) alterações que fez na sua alimentação, é peremptória. “Excluí por questões de intolerância os lacticínios – não como iogurtes, passei para leites vegetais e como queijo apenas esporadicamente, apesar de adorar. Tento cortar tudo o que tenha glúten – tento comer pão apenas uma vez por semana – e sou super intolerante ao milho. Não como fritos, não tenho quase nada que seja empacotado em casa.”

Adora ir às compras e confessa que se perde em bons supermercados – supermercados bem recheados como o Continente do Colombo e a sua zona saudável gigante. E é fã da Go Natural – as lojas da Avenida 5 de Outubro e do Chiado já eram as suas preferidas mesmo quando ainda eram Brio.
 

DEZ PERGUNTAS EM DISCURSO DIRECTO

Inspirações healthy / fit: "A Krausz, sem dúvida. Já tive as minhas fases - a da Gabriela Pugliesi em que toda a gente a achava maravilhosa... Mas hoje em dia tenho inspirações portuguesas. Gosto muito do estilo de vida da Krausz, da Joana Limão, da Samanta McMurray."

Como é que resistes às tentações dos sítios novos? “Quando vou a um restaurante novo não gosto de me deixar restringir. Resisto muito bem às sobremesas - já a salgados... Para mim é mais difícil manter-me no caminho certo no dia a dia – e estou sempre a tentar arranjar alternativas saudáveis para refeições ou snacks. Gosto muito de fazer uma tigela de húmus ao domingo para comer durante a semana com pepino ou cenoura, por exemplo. E descobri há pouco tempo as tâmaras com a Aimee do Song of Style."

O que descobriste agora que gostavas de ter sabido há 10 anos? “Que nem tudo é um drama; tudo se resolve, tudo tem o seu tempo.”

O que é que mais te perguntam, para além de “onde é que compraste isto”? "Durante o Whole 30 perguntavam-me muito onde é que tinha ido buscar informações, porque é que o tinha feito... Perguntam-me muito como é que se começa a ser blogger, como é que se começa a ser influencer..."

A melhor receita para fazer em 5 minutos? "A minha taça de conforto: quinoa salteada na wok com feijão preto, espinafres e brócolos, com ovo estrelado por cima e muita paprika. É muito básico, é muito bom e é mesmo comfort food. Nunca pensei que a minha comfort food fosse algo saudável!"

O que nunca falta na tua cozinha? "Espinafres e quinoa."

Os teus prato(s) preferido(s)? "Pad thai – que não sei fazer! – do Boa Bao ou do Soi. Gosto muito de sushi, se for um sushi bem feito – como o da Confraria. E adoro as sopas da minha mãe – faço exactamente igual mas nunca sabe da mesma forma."

Signature dish? "Brownie de 3 chocolates feito de chocolate de leite com pedaços de chocolate branco e uma calda de chocolate negro. Nunca tentei fazer uma receita fit deste brownie - nem sei se é possível. E talvez os meus scones – a receita está no blog."

Melhor viagem em termos gastronómicos? "Itália! Vivi lá 6 meses. Comi os melhores cannelonis vegetarianos, os melhores gnoccis, e vim de lá com mais 8 quilos."

Ingrediente tendência que te deixou feliz? "A quinoa - não me lembro de haver quinoa em casa da minha mãe... e o matcha. Adoro matcha, apesar de ser caro."
 

O FUTURO. AGORA, EM BOM.

O futuro da alimentação. "Gostava que houvesse mais conhecimento, por parte das pessoas, quando vão às compras. Não estamos habituados a ler rótulos. As pessoas deixam-se ir pelo “menos x% de açúcar”, “menos x% de gordura”, que não significa necessariamente que seja bom. Se caminharmos para aprender a ler rótulos e perceber o que está por detrás dos produtos, para além dos chavões do light, do magro... estamos num bom caminho."

E o da Mafalda e do Malmequer. "Quero que o blog se torne um pouco mais pessoal. Vou continuar a não falar da minha vida privada ou do que se passa da minha porta para dentro, mas a questão da ansiedade, por exemplo, é algo de que falei e que senti que teve impacto. Para mim... adorava conseguir ir para Nova Iorque. Quero poder voltar a escrever mais, profissionalmente, e poder escrever sobre música – adorava trabalhar para uma Pitchfork ou, quem sabe, voltar para a MTV... mas para os estúdios em Times Square! E, claro, viajar muito - conhecer Berlim e regressar a Paris - e continuar a trabalhar com marcas de beleza que admiro - este ano já consegui iniciar uma relação com a Jo Malone, que adoro, e gostava muito de trabalhar com a Dior."

 

A Mafalda escreve no blog Malmequer - para não perder nenhum update basta seguir o Facebook - e partilha o seu dia a dia no seu Instagram.

SUN&VEGS

AGORA, EM BOM

Almoçar pode ser apenas mais uma pausa obrigatória a meio do dia ou um momento de partilha, descoberta, prazer. É por isso que convidamos quem nunca para de correr para se sentar, respirar e nos contar tudo - sobre si e sobre a comida que faz bem.

Este site usa cookies para recolher informações que ajudarão a optimizar a tua visita. Consulta as informações sobre o uso de cookies na nossa Política de cookies. Ao continuar a usar o nosso site, aceitarás a nossa política de cookies. ACEITO