Feito à Mão. Agora, em bom.

MARCAS À MÃO

As Belinhas

Isabel e Joana, mãe e filha, inseparáveis até na data de nascimento - ambas celebrarão mais um ano amanhã, 14 de julho - são a cara d'As Belinhas, a marca de cestas e clutchs feitas à mão e por encomenda que acompanha as mulheres portuguesas desde 2015.

Adeptas de fazerem os seus próprios acessórios, um dia abriram uma página de Facebook onde partilharam as duas cestas que tinham criado para si e, em menos de 24h, não só as tinham vendido como já tinham encomendas. E, de repente, perceberam que tinham no seu bom gosto um projecto cheio de potencial.

"Há imensas cestas, clutchs e chapéus à venda - pintados, com franjas, com missangas. Tudo se encontra hoje em dia, mas as nossas eram (e são!) diferentes. Qualquer matéria prima utilizada por nós é totalmente portuguesa, potenciando o artesanato e a indústria portuguesa."

Para além disso, todos os produtos são totalmente personalizados com renda portuguesa (100% algodão) ou em crochet (tricotado por Isabel), e as alcofas são forradas no interior e pintadas à mão, tornando cada uma diferente da outra. "Até hoje, passaram 3 anos e o orgulho é cada vez maior! Os ingredientes essenciais para o sucesso d’As Belinhas são a qualidade, paixão e perfecionismo com que trabalhamos."

A chave do negócio é a mãe, Isabel. "É ela que cria os modelos, que elabora todos os artigos com o máximo perfecionismo e que transporta todo o amor que tem para dar para as nossas Belinhas." Joana assegura o trabalho comercial e de marketing, aplicando o seu know how  e experiência.

A marca registada surgiu em março de 2015, três meses depois de a ideia ter nascido, e contava apenas com algumas cestas e alguns chapéus em folha de palma. Inicialmente, não tinham fornecedores, meios nem ferramentas que lhes permitissem alcançar as melhores matérias-primas ao melhor custo, uma dificuldade sentida por muitos criadores e empreendedores quando dão os primeiros passos.


"Batemos a muitas portas e pesquisámos muito até encontrarmos fornecedores de matérias em folha de palma, juta, folha de arroz e rendas portuguesas, identificadores da marca que ainda hoje se mantém. É tudo 100% nacional, desde as chapas que identificam os nossos artigos até ao tecido que é utilizado para forrar as nossas cestas. A partir daí, foi desenhar novos modelos, tentar procurar outros artigos que não cestas que pudessem ser ainda mais diferenciadores e acima de tudo aprender: aprender a gerir uma empresa, uma marca, as redes sociais…"

Não trabalham por coleções porque criam peças intemporais e versáteis, que se possam adaptar a qualquer situação e sobreviver a tendências passageiras. E criam à mão porque acreditam que isso garante a qualidade que procuram. "Não queremos industrializar os nossos artigos porque a sua essência é mesmo a originalidade e o facto de serem desenhados e cosidos à mão, o que garante que nenhum artigo é igual ao outro. Somos uma marca portuguesa certificada em artesanato português."

As cestas e as clutchs são os formatos mais procurados embora aceitem desafios e pedidos feitos à medida, como o berço de bebé que uma cliente habitual encomendou para oferecer a uma amiga. "Quando a futura mamã recebeu o berço chorou de emoção e alegria por ter gostado tanto."

Encontram inspiração nas tendências que as cativam, na Natureza e nas Mulheres - e gostavam que todas aquelas que têm uma personalidade vincada, valorizam o artesanato e gostam de artigos únicos feitos com paixão conhecessem As Belinhas. 

Sobre as melhores e maiores surpresas de terem uma marca, são peremptórias: "É uma gratidão o reconhecimento que se recebe por parte das clientes, os elogios, as mensagens de agradecimento, a assiduidade com que compram Belinhas... este sentimento foi uma das boas surpresas! Além disso, uma das maiores ou a maior e melhor surpresa de ter uma marca foram os convites que começaram a surgir ao fim de 2/3 meses da criação da marca para estar presente em programas de televisão a falar do nosso projeto, convites para estarmos presentes em mercados, convites para artigos em sites/revistas. Tudo um Mundo novo para nós."

 

O FUTURO. AGORA, EM BOM.

Desejos para 2018/19? "Os nossos desejos passam, naturalmente pelo crescimento d’As Belinhas. Chegarmos a mais Mulheres e afirmarmos-nos como uma marca de qualidade e confiança."

Planos a curto e médio prazo para a marca? "As Belinhas são uma marca que quer continuar o seu caminho no Mundo do Artesanato - como tal, nunca podemos industrializar os nossos artigos. Queremos, sim, afirmar-nos enquanto marca portuguesa que cria e personaliza os seus artigos totalmente à mão, com todo amor e dedicação, um de cada vez.  Não temos um artigo igual ao outro, são únicos e são feitos artesanalmente."

Desejos para o futuro da moda / do artesanato em Portugal? "Acima de tudo que seja mais valorizada. Portugal é um país que sabe trabalhar e que tem boas matérias-primas, e muitas vezes os Portugueses não aproveitam o melhor que o nosso País tem para oferecer. Muitas vezes, um artigo pode ter um valor mais elevado, mas muito provavelmente esse valor está associado a um padrão de qualidade muito superior a outro artigo mais barato. Portanto, gostaríamos que se começasse a dar mais valor aos criadores nacionais (que há muitos e bons!) e ao que é nosso, não só pelo orgulho que representa mas também como fator influenciador da economia nacional."




Para acompanhar o trabalho d'As Belinhas, basta seguir o Facebook e Instagram da marca.
 

SUN&VEGS

AGORA, EM BOM

Fazer à mão é importante - fazê-lo bem é essencial. Cada pormenor, cada detalhe, cada nuance de um objeto, de um produto, de um prato preparado à mão é único e carregado de histórias. É por isso que as Fresco&Frasco Sun&Vegs são feitas assim. E é por isso que procuramos outras marcas que produzem da mesma forma. Agora, em bom.

Este site usa cookies para recolher informações que ajudarão a optimizar a tua visita. Consulta as informações sobre o uso de cookies na nossa Política de cookies. Ao continuar a usar o nosso site, aceitarás a nossa política de cookies. ACEITO